Sindicato dos Proprietários de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Uberaba e Condomínios

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

“Roteiro Turístico Uai Paulista”


A Cidade de Uberaba foi convidada para participar do projeto “Roteiro Turístico Uai Paulista”.
            Para participarmos temos que providenciar a infra-estrutura e ter os empresários do setor de alimentação, hospedagem, potenciais atrativos e serviços turísticos cadastrados no projeto para receberem o “SELO UAI PAULISTA”, que será divulgado em todo o Estado.

            Empresário do setor de alimentação e hospedagem, o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Uberaba, Convida para apresentação do Sr. Manoel Pedro Leal, no dia 8 de outubro as 16:00 na sede de nosso Sindicato à Av. Leopoldino de Oliveira 4113, sala 230, sobre o projeto Roteiro Turístico Uai Paulista.
           
            Não terá nenhum custo para as empresas que aderirem, contamos com sua presença.

Informações e confirmação de presença: 3332-0008
Divulguem para seus contatos, vamos juntos desenvolver o turismo em nossa cidade.


segunda-feira, 7 de julho de 2014

Convenção Coletiva 2014 / 2015

Fechado o acordo coletivo 2014/2015.

Após longa negociação a diretoria do Sinhorescon, aprovou a nova Convenção Coletiva que ira regulamentar as atividades trabalhistas de nossa categoria no período de maio 2014 a maio 2015.
Conforme acordo com o Sindicato dos empregados as principais alterações foram:
- O piso salarial que foi reajustado em 6,50 % ficando em R$ 900,00.
- A retirada da Clausula de fomento para novos contratados que permitia contratar durante a experiência pelo salário mínimo.
- Seguro de vida reajustado passando a importância segurada para R$ 8.120,00.
- Correção da tabela de Contribuição Assistencial Patronal.
O  acordo é retroativo a data-base, maio 2014, sendo devido o pagamento da diferença salarial do mês de maio ao empregado.

SEGURO DE VIDA

Conforme estipulado na Convenção Coletiva na Cláusula vigésima sétima, fica as empresas obrigadas a manter para todos empregados um seguro de vida com valor segurado de R$ 8.120,00 por morte e/ou invalidez, sendo assim o seguro é obrigatório e a não observância do seguro, caso ocorra o sinistro com o empregado, a empresa indenizara o empregado no valor idêntico que seria pago pela seguradora.
O Sinhorescon através da PASI Seguradora consegue um seguro em conformidade com a Convenção Coletiva e com o preço mais em conta para as empresas, caso ainda não tenha o seguro de seus empregados entre em contato com o Sinhorescon via email ou telefone.

CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL

Como é de conhecimento, o Sindicato sobrevive de três tipos de contribuições, Contribuição Social, facultada aos empresários que queira associar ao Sindicato, possibilitando a ele a participação e deliberação na entidade. Contribuição Sindical obrigatória por força da CLT , é devida a todas as empresas sendo cobrada conforme o capital social das empresas  e com vencimento em 31 de janeiro, esta contribuição é um tributo sendo rateado o valor da contribuição entre Ministério do Trabalho e Emprego, Confederação, Federação e Sindicato. Contribuição Assistencial instituída pela Convenção Coletiva de Trabalho para fortalecimento social do Sindicato, tem obrigatoriedade por força da Convenção Coletiva de Trabalho sendo calculada conforme o número de empregados na empresa e tem vencimento em 31 de agosto.

Tabela de Contribuição Assistencial 2014.

NÚMERO DE EMPREGADOS DA EMPRESA

VALOR DA TAXA

Até 5 (cinco) empregados
  R$  55,00
De 6 (seis) a 15 (quinze) empregados
  R$120,00
De 16 (dezesseis) a 30 (trinta) empregados
  R$235,00
De 31 (trinta e um) a 40 (quarenta) empregados    
  R$350,00
Acima de 40 (quarenta) empregados
  R$460,00


quinta-feira, 5 de junho de 2014

Regulamentação da Lei anti-tabagismo

Lei que proíbe fumo em locais fechados é regulamentada



O Ministério da Saúde anunciou a regulamentação da Lei Antifumo por meio de decreto da presidenta da República, Dilma Rousseff, que estabelece ambientes fechados de uso coletivo 100% livres de tabaco. O objetivo é proteger a população do fumo passivo e contribuir para diminuição do tabagismo entre os brasileiros. A norma entrará em vigor 180 dias após a publicação do decreto no Diário Oficial da União, previsto para esta segunda-feira, dia 2 de junho.

De acordo com a nova regra, está proibido o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos e outros produtos fumígenos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como hall e corredores de condomínio, restaurantes e clubes, mesmo que o ambiente esteja só parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou até toldo. Os narguilés também estão vetados.

A norma também extingue os fumódromos e acaba com a possibilidade de propaganda comercial de cigarros até mesmo nos pontos de venda, permitindo somente a exposição dos produtos, acompanhada por mensagens sobre os malefícios provocados pelo fumo. A legislação anterior permitia as propagandas no display.

“A regulamentação da lei é um grande avanço para o Brasil. É fundamental para que o país possa continuar enfrentando o tabagismo como um grave problema de saúde pública e um desafio para que toda a sociedade possa viver de forma mais saudável. A regulamentação é um compromisso com a saúde do povo brasileiro”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Chioro também relatou que o Brasil, desde a criação do SUS, vem progressivamente avançando na regulamentação do fumo no Brasil. “Estamos desenvolvendo um conjunto de medidas que buscam a diminuição do impacto do tabaco na vida das pessoas com a associação de três medidas. A primeira delas é o aumento do preço a partir a edição de lei em 2011, que já é um consenso internacional, a proibição da propaganda e o impedimento do fumo em locais coletivos fechados”, disse o ministro.

Outra obrigatoriedade prevista é o aumento dos espaços para os avisos sobre os danos causados pelo tabaco, que deverão aparecer em 100% da face posterior das embalagens e de uma de suas laterais. A partir de 2016, deverá ser incluído ainda texto de advertência adicional em 30% da parte frontal dos maços dos cigarros.

A lei não restringe o uso do cigarro em vias públicas, nas residências ou em áreas ao ar livre. No caso de bares e restaurantes, em mesas na calçada, o cigarro será permitido, desde que a área seja aberta e haja algum tipo de barreira, como janelas fechadas ou parede, que impeça a fumaça de entrar no estabelecimento.

Os fumantes não serão alvo de fiscalização. São os estabelecimentos comerciais os responsáveis por garantir o ambiente livre do tabaco. Eles precisam orientar seus clientes sobre a lei e pedir para que não fumem, podendo chamar a polícia quando o cliente se recusar a apagar o cigarro.

Em casos de desrespeito à lei, o estabelecimento pode receber advertência, multa, ser interditado e ter a autorização cancelada para funcionamento, com o alvará de licenciamento suspenso. As multas variam de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão, dependendo da natureza da infração, que pode ser leve, grave ou gravíssima, ou de reincidências. As vigilâncias sanitárias dos estados e municípios ficarão encarregadas de fiscalizar o cumprimento da legislação.

PREVALÊNCIA - No Brasil, o número de fumantes permanece em queda. Segundo o Vigitel 2013 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), o percentual caiu 28% nos últimos oito anos. Em 2006, 15,7% da população adulta que vive nas capitais fumava. Em 2013, a prevalência caiu para 11,3%. O dado é três vezes menor que o índice de 1989, quando a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (PNSN), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou 34,8% de fumantes na população. A meta do Ministério da Saúde é chegar a 9% até 2022.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério, Jarbas Barbosa, destacou que o grande esforço é impedir a iniciação do cigarro. “Temos na média 11,3% de prevalência de tabagismo, em comparação com outros países temos uma das mais baixas. Por isso, a cada ano começamos com o desafio de manter uma política consistente para que não tenhamos dados que retrocedam. E quando a pessoa para de fumar, o benefício sobre a redução do risco cardiovascular é quase imediato”, afirmou.

O Sistema Único de Saúde oferece tratamento para quem deseja parar de fumar. Atualmente, há 23.387 equipes da família, em 4.375 municípios, preparadas para atender a população. Além do acompanhamento profissional, são oferecidos medicamentos, como adesivos, pastilhas, gomas de mascar e o antidepressivo bupropiona. O Ministério da Saúde destinou R$ 41 milhões para compra desses medicamentos, ofertado no tratamento contra o tabagismo.

Responsável por cerca de 200 mil mortes por ano no Brasil, o tabagismo é reconhecido, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma doença epidêmica. A dependência da nicotina expõe os fumantes continuamente a mais de quatro mil substâncias tóxicas, fator de risco para aproximadamente 50 doenças, principalmente as respiratórias e cardiovasculares, além de vários tipos de câncer.

Os cânceres de pulmão e laringe são os que mais matam e representam 12,3% dos tipos de câncer no Brasil. Em 2012, o país registrou 23.501 óbitos de câncer de pulmão e 4.339 de laringe. Para 2014, estima-se o surgimento de 27,3 mil novos casos de câncer de pulmão e 6.870 de laringe.

Onde não pode fumar (ambientes de uso coletivo):
X Interior de bares, boates, restaurantes, lanchonetes, escolas, universidades, museus, bibliotecas, espaços de exposições, áreas comuns de condomínios, casas de espetáculo, teatros, cinemas, hotéis, pousadas, casas de shows, açougues, padarias, farmácias e drogarias, supermercados, shoppings, praças de alimentação, centros comerciais, bancos e similares, em ambientes de trabalho, estudo, de cultura, de culto religioso, de lazer, de esporte ou entretenimento, repartições públicas, instituições de saúde, hospitais, veículos públicos ou privados de transporte coletivo, viaturas oficiais e táxis.

Onde pode fumar:
v Em casa, em áreas ao ar livre, parques, praças, estádios de futebol (somente em áreas abertas), vias públicas, nas tabacarias e em cultos religiosos, caso isso faça parte do ritual, em estúdios e locais de filmagem quando necessário à produção da obra, em locais destinados à pesquisa e desenvolvimento de produtos fumígenos, e em instituições de tratamento de saúde que tenham pacientes autorizados a fumar pelo médico que os assista. Nesses casos, é necessário adotar condições de isolamento, ventilação e exaustão do ar, bem como outras medidas de proteção dos trabalhadores ao fumo.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Projeto Copa no Boteco é lançado pela prefeitura de Uberaba

A menos de 20 dias para a Copa do Mundo, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) lançou o projeto Copa no Boteco. O objetivo é ampliar os negócios para os comerciantes de Uberaba e gerar emprego e renda para quem tiver interesse em aderir ao programa.
O projeto tem como parceira a Ambev, que fornecerá ao empresário que aderir ao programa um kit decorativo contendo bandeirolas, forros de mesa, aventais para garçons, tabelas, cavaletes e cartazes de identificação.
O prefeito Paulo Piau destacou a iniciativa do projeto. “É um evento inédito, que tem como foco ampliar negócios e promover a confraternização. Tivemos acesso a uma pesquisa que comprova que 60% dos brasileiros gostam de assistir à Copa no boteco, sendo assim, vamos utilizar esse fluxo para apoiar os empreendedores deste segmento”, comentou.
O secretário de Desenvolvimento Econômico, José Renato Gomes, acredita que o projeto movimentará o público não só de Uberaba, mas da região. “Queremos despertar o interesse de todos, sejam cidadãos uberabenses, ou da região. Se fizermos um trabalho diferente, oferecermos boas condições e atendimento de primeira, com certeza, atrairemos gente até da região para acompanhar os jogos na cidade. Isso gera emprego, pois há mais contratação para atender à demanda, e gera lucro. É riqueza gerada aqui, que fica aqui”, pontuou.
Aos empresários que possuírem interesse em participar do projeto Copa no Boteco, basta fazer o cadastro no site da Ambev. 

Bares investem para Copa e esperam alta de até 20% nas vendas

De olho na Copa do Mundo de 2014, proprietários de bares em Uberaba têm investido em espaços personalizados para atrair clientes durante os jogos do mundial. Os locais, que costumam receber torcedores para assistirem partidas de futebol, esperam crescimento nas vendas de, em média, 20% durante o evento.
 A poucos dias para a Copa, bares da cidade têm recebido nova decoração e itens que devem atrair os fãs do futebol.  Alguns locais estão instalando televisões, telões para criar o clima de confraternização

Além de preparar estrutura física, comerciantes também devem atender em horário especial e realizar promoções aos clientes. Alguns vão abrir já no começo da tarde e fazer atrações temáticas para atrair o público mais jovem. Devem acontecer algumas promoções com chopp e petiscos e cervejas também.

Rede Hoteleira
Acreditamos também  que a rede hoteleira de Uberaba deva ser beneficiada pela Copa do Mundo no Brasil. Alguns turistas que procuram lugares mais calmos e seguros, além de preços baratos, ou que estejam em transito podem optar por municípios menores no entorno das cidades-sede. Uberaba está  justamente no eixo  São Paulo – Brasília –Belo Horizonte, onde vai acontecer a abertura e jogos do evento.

Centrais vetam proposta do governo sobre CLT

BRASÍLIA - As centrais sindicais barraram as contratações temporárias, mesmo com a posição do governo de que a medida baixaria o custo da mão de obra e agilizaria o setor privado. A ideia da equipe econômica da Presidência que não decolou era alterar a sexagenária Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para permitir às empresas contratar funcionários para períodos curtos sem necessidade de registro em carteira. Se tudo desse certo, as contratações flexíveis seriam anunciadas nesta quinta-feira, 15, pela presidente.
A ideia era que as admissões pudessem ser feitas pelo período máximo de 14 dias, renováveis (com intervalo de sete dias corridos) até o limite de 60 dias por ano. Em princípio, uma Medida Provisória permitiria esse tipo contratação na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos. Depois, ministros do governo anunciaram que o trabalho temporário seria estendido por tempo indeterminado para alavancar as contratações.

Infelizmente não deu certo, isso mostra que o Governo é refém das vontades das Centrais Sindicais, tornando o Brasil  um dos poucos países que não tem uma legislação específica sobre trabalho temporário. O setor é responsável pela geração de 6 milhões de empregos e durante a Copa do Mundo serão criados mais 2 milhões de postos. Como não houve regularização do trabalho temporário, teremos até 300 mil empregos contratados na informalidade. "Até mesmo dentro dos estádios, teremos trabalhadores informais".

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Novo aumento de impostos sobre bebidas coloca 200 mil empregos em risco no setor de bares e restaurantes

Setor prevê queda de faturamento e retração do negócio devido ao segundo aumento consecutivo de impostos sobre bebidas frias anunciado pelo Governo Federal em um intervalo de 30 dias.
    

 
A venda de bebidas (refrigerante, água, cerveja e suco) representa entre 40% e 60% do faturamento de bares, restaurantes, lanchonetes e afins. Com a alta dos tributos, que no caso da cerveja será de, em média, 30%, o preço dos produtos subirá novamente, afugentando ainda mais o consumidor. Cenário que coloca 200 mil empregos em risco em todo o país.